Facebook Linkedin

INDÚSTRIA DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO TEM RETRAÇÃO EM CENÁRIO ECONÔMICO INSTÁVEL

ABRAMAT aponta segunda baixa consecutiva no ano e aguardará desdobramentos da pandemia do COVID-19

para reavaliar projeção de crescimento no ano.

 

A ABRAMAT divulga nessa quarta-feira, 18 de março, a nova edição da sua pesquisa ÍNDICE, elaborada pela FGV com dados do IBGE e CAGED sobre faturamento e emprego na indústria de materiais de construção. Os destaques dessa edição são a retração de -1,0% NO FATURAMENTO DO SETOR NA COMPARAÇÃO ENTRE FEVEREIRO E JANEIRO e a decisão da associação em manter a previsão de crescimento no ano até que sejam computados mais dados sobre os graves impactos da pandemia do COVID-19 no setor.

 O Índice da ABRAMAT também aponta que em fevereiro de 2020 a indústria de materiais de construção faturou 4,3% menos do que no mesmo mês do ano anterior. Esse resultado, contudo, ainda não altera a alta acumulada nos últimos 12 meses, de 0,8% positivo.

O emprego formal da indústria de materiais apresentou alta de 0,6% em janeiro em comparação a dezembro. Com relação a janeiro de 2019, houve crescimento de 0,4% no número de contratações. Mesmo com isso, o acumulado em 12 meses ainda é negativo, em 0,2%.

 Para a diretoria da ABRAMAT, a conjuntura apontada pelos dados já é reflexo da instabilidade do cenário econômico atual. “_A pandemia da COVID-19 tem tido efeitos extremamente negativos na economia mundial e no Brasil. Além da grande instabilidade nos mercados financeiros, há também um temor pelo maior arrefecimento da atividade econômica por conta dos efeitos da pandemia sobre as cadeias globais de valor_.

Aguardaremos os desdobramentos da situação para avaliar seus reais impactos no setor e encaminharemos nossas propostas para mitigar esses impactos no setor ao Governo”, pondera Rodrigo Navarro, presidente executivo da ABRAMAT.